crianca-autista

Triagem para autismo na consulta pediátrica

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é definido como uma alteração na comunicação, interação social e interesse e atividades restritas, que aparece tipicamente antes dos três anos de idade, podendo gerar sofrimento para o paciente e seus familiares, principalmente se não diagnosticado e bem acompanhado por especialistas.

O TEA é uma alteração que vem apresentando uma estatística significativa, com uma prevalência nos EUA de um a cada 68 casos, e no mundo, de um em cada 100 casos.

O tratamento do paciente deve ser realizado o mais precoce possível, aumentando dessa forma sua eficiência e consequentemente atenuando o sofrimento dos pacientes e seus cuidadores.

Estes são alguns dos motivos para ficar atento quanto à triagem para sinais de TEA na infância, durante o desenvolvimento dos filhos.

Por isso, desde 2011, o Ministério da Saúde incluiu na caderneta de saúde da criança e do adolescentes uma ferramenta para detecção de sinais de alarme.

Confira alguns sinais listados pelo Ministério da Saúde que podem ser observados por familiares para identificar traços de Transtorno do Espectro Autista (TEA):

  • Alterações do sono variáveis e inespecíficas;
  • Indiferença em relação aos cuidadores, ausência de sorriso social, desconforto quando acolhido no colo e desinteresse pelos estímulos oferecidos (brinquedos, por exemplo);
  • Ausência de atenção compartilhada (não compartilham o foco de atenção com outra pessoa) e de contato visual (não estabelecem contato olhos nos olhos);
  • Comportamentos estereotipados (mexer os dedos em frente aos olhos, movimentos repetitivos da cabeça e/ou de antebraços e mãos, andar nas pontas dos pés descalços, balanço do tronco);
  • Ausência de resposta ao chamado dos pais/cuidadores, aparentando surdez;
  • Aversão ao contato físico (a criança evita relacionar-se com pessoas desde o início da vida);
  • Ausência de reação de surpresa ou dificuldade para brincar de “faz de conta”;
  • Hipersensibilidade a determinados tipos de sons;
  • Ecolalia – repetição imediata ou tardia de palavras ou frases;
  • Tendência ao isolamento, autoagressão, inquietação, comportamentos estranhos;
  • Interesses circunscritos (às vezes, gosta de girar objetos);
  • Em alguns casos, presença de habilidades especiais (matemáticas, musicais e plásticas).

Sempre oriento aos pais que aproveite ao máximo a caderneta de saúde da criança do Ministério da Saúde e acompanhe o desenvolvimento dos filhos bem de perto.

Qualquer sinal de atraso no crescimento e desenvolvimento deve ser comunicado imediatamente ao pediatra de controle.

Dra. Esther Rache RodriguesPediatra da Blues Clinic

O que deseja encontrar?

Compartilhe

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.